Minha empresa está crescendo, devo aderir a um convênio de saúde empresarial?

Tempo de leitura: 3 minutos

Em um contexto de incertezas políticas e recessão econômica, abrir um negócio no Brasil pode ser um verdadeiro desafio. Entretanto, apesar do cenário difícil, o número de pessoas que decidiram se tornar microempreendedores no país ultrapassou a impressionante marca dos 7 milhões de brasileiros em 2017, segundo o SEBRAE.

 

O significativo número demonstra que uma das alternativas encontradas pelo brasileiro para driblar as dificuldades financeiras é investir na criação do negócio próprio. E, diante do crescimento das micro e pequenas empresas que estão se dando muito bem no mercado, esse caminho pode ser uma ótima opção para quem deseja mudar de vida.

 

Além do fator financeiro, gerir seu próprio negócio enquanto MEI traz uma série de benefícios para o empreendedor: flexibilidade, autonomia e possibilidade de inovação são algumas dessas possibilidades inerentes.

 

Apesar dos pontos positivos, entretanto, é preciso muito planejamento e organização para conseguir fazer com que o negócio sobreviva e que se sustente em um mercado cada vez mais competitivo. E é justamente diante do crescimento dos negócios que o empreendedor deve refletir sobre os próximos passos da empresa para tomar decisões administrativas certeiras.

 

Vamos supor que uma MEI comece a expandir seus negócios e precise contratar alguns colaboradores para atuarem em setores diversos, desde a produção até a divulgação dos produtos. Esse movimento, apesar de parecer simples, exige muita responsabilidade gerencial para não sobrecarregar as contas da empresa e para manter a organicidade do negócio.

 

E é aí que o empreendedor se depara com a necessidade de investir na gestão de pessoas, que vai muito além de adequar-se como microempresa (ME) ou pequena e média empresa (PME).

 

A importância da gestão de pessoas para as micro e pequenas empresas

 

De forma geral, o conceito de gestão de pessoas reúne uma série de métodos e de habilidades, bem como de políticas internas e ações práticas que visam cuidar das relações interpessoais dentro da empresa e potencializar o capital humano. Para conquistar esse objetivo, é preciso que haja participação, capacitação de funcionários, envolvimento do time e investimentos nos cuidados com os profissionais que trabalham cotidianamente para trazer bons resultados à empresa.

 

Mas como cuidar da saúde e do bem-estar da equipe de funcionários?

 

Uma equipe saudável e bem motivada faz a diferença dentro de uma empresa. E inúmeras atitudes são essenciais para criar um clima positivo e estimulador. Antes de mais nada, vale lembrar que não basta apenas oferecer aos funcionários uma remuneração adequada. É preciso criar canais de diálogo constantes para que a comunicação interna flua, pensando em ambientes de trabalho saudáveis e estimulando os cuidados com a saúde.

 

Seguindo nessa linha, uma opção escolhida por inúmeros empreendedores é a contratação dos planos de saúde empresariais. Esse movimento é muito importante para estabelecer a organização criar uma relação de confiança com os colaboradores. Em alguns casos, opta-se por estender o benefício aos familiares do funcionário também, garantindo um grande conforto à família como um todo.

 

Para escolher o plano de saúde que mais se adapta às necessidades do seu negócio, é importante consultar um empresa especializada em gestão de saúde corporativa para empreendimentos do mesmo porte que o seu. Com a orientação correta, você poderá escolher planos que não irão sobrecarregar as contas da empresa e ainda contará com uma assessoria sobre como instruir os funcionários a utilizarem corretamente o plano, evitando aumentos desnecessários na época de reajuste.

 

Conte com a ajuda da TOC Garantias para lhe indicar as melhores opções e boa sorte com os negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *